Como otimizar os resultados nas operações de First Tier

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

first-tierMuitos empresários já se deram conta da importância de monitorar e otimizar os processos que dizem respeito ao cliente, mas não percebem que tão ou mais importante do que as entregas são as etapas que vêm antes dela. O First Tier, que traduzindo de forma literal quer dizer “primeiro vínculo”, diz respeito ao início da cadeia de suprimentos, ou seja, transporte de insumos (fornecedor – fábrica) ou resuprimentos (fábrica – CDS/ HUBs – CDs). Pensar nessa etapa é muito importante, uma vez que otimizá-la resulta em redução de custos, rapidez e eficiência na produção.

First tier eficiente: como fazer?

O primeiro passo é perceber a importância do First Tier para a empresa e levá-lo tão a sério quanto as entregas para o cliente. Caso ainda não exista, realize levantamentos. No que diz respeito ao transporte de insumos, analise detalhes sobre todos os fornecedores e identifique pontos fortes e fracos, como preço, tempo de entrega, número de falhas, qualidade do produto e até dados menos palpáveis como a qualidade de atendimento. A demora na entrega de algum suprimento pode estar atrasando toda a cadeia. Feito esse estudo, será possível traçar planos de ação.

As saídas para problemas com fornecedores de insumos podem ser principalmente duas:

  1. Troca de fornecedor – pode ser que o problema identificado na operação First Tier não tenha solução possível e seja necessária a troca de fornecedor. Os motivos podem ser vários: preços acima do mercado, demora na entrega, muitos transtornos no relacionamento, entre outros. É importante destacar que essa decisão não poderá ser tomada verificando dados isoladamente, sem análise de todos os fatores. Uma empresa com um custo alto pode ter um produto melhor, então é interessante continuar com ela.
  1. Alinhamento de expectativas – se o fornecedor First Tier tem o melhor produto, mas tem muitos problemas de relacionamento e atrasos na entrega, o que fazer? Nesse caso, o melhor é conversar com o responsável pela outra empresa e verificar o que pode ser feito. Pode ser que a causa do problema seja a simples falha de comunicação e um alinhamento básico de expectativas já pode solucionar o problema. É possível também que a causa para o problema seja um fator climático, por exemplo. Nesse caso, a solução seria alternar fornecedores de acordo com a época do ano (comprando de regiões onde haja climas diferentes) ou mesmo estocar produto comprado na época mais favorável. O importante é analisar de perto o problema e encontrar soluções específicas para cada situação.

Se isso não for suficiente para melhorar a eficiência da produção, observe se as falhas não acontecem nas operações First Tier para resuprimentos. Para esse problema tente:

  1. Monitorar a movimentação dos caminhões – Muitas vezes o problema não está na origem nem no destino da entrega, mas no trajeto. A partir do momento que o caminhão está na estrada, a responsabilidade passa a ser do funcionário e, sem monitoramento ele pode cometer falhas. Desvios de rota e paradas não programadas, por exemplo atrasam o trabalho. Uma boa alternativa é a implantação de tecnologias de apoio às entregas no First Tier, assim como é feito nas entregas diretamente ao cliente. O software fornecerá informações para monitorar motoristas como: posição do caminhão, eventos ao longo do percurso, expectativa de chegada, etc. Por meio do aplicativo é possível também ter uma comunicação direta com o motorista, o que facilita a troca de informações. Essa tecnologia pode ser uma solução também para o First Tier de insumos.
  2. Verificar a eficiência na carga e descarga –  Tenha sempre uma pessoa responsável por acompanhar movimentações de carga e descarga. Quando esses processos atrasam muito, toda a cadeia pode ficar comprometida. Essa pessoa deve ficar responsável também por saber onde essa mercadoria ficará armazenada ou se será diretamente direcionada para outro local. Caso contrário, erros podem ocasionar um vai-e-vem de informações e a consequência é a ineficiência do First Tier.

Observados todos esses pontos, para ambas situações de First Tier, conte com sistemas que automatizem processos e emitam relatórios. Isso ajuda a ter uma visão geral sobre como o fluxo acontece e onde estão os pontos frágeis. Dessa forma, a empresa conseguirá trabalhar mais alinhada e é possível aplicar just in time com mais facilidade. Com uma cadeia que se comunica em todas as pontas, não é necessário ter grandes estoques, há menos desperdícios e a produção consegue atender exatamente o nível de demanda. Uma operação assim é o sonho de qualquer empresário, possível graças a essas tecnologias.
Quer saber mais sobre como a tecnologia de apoio às entregas pode ajudar nas operações de First Tier? Deixe um comentário.

Já conhece nosso Podcast? Vem tomar um café com a gente!

Deixe seu comentário

Receba os melhores conteúdos sobre logística no seu e-mail e otimize a gestão da sua empresa.


Os conteúdos são 100% gratuitos e você pode parar de receber quando quiser.
Nova call to action

Recomendamos para você:

O que é redespacho?

Muitas pessoas têm dificuldade para identificar o que é redespacho e como isso acontece. E é uma dúvida muito recorrente de quem chega aqui na Lincros, por isso decidi escrever esse artigo para vocês.
All articles loaded
No more articles to load
lincros

Receba os melhores conteúdos sobre logística e ​otimize a gestão da sua empresa

Obrigado por entrar em contato conosco!

Insira seu nome e e-mail para prosseguir para o WhatsApp

lincros

Conecte sua cadeia de transportes ponta a ponta

Uma plataforma. Controle total.