Boas práticas para distribuição e transporte de medicamentos

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Antes de chegar às farmácias, na distribuição e transporte dos medicamentos, eles percorrem um longo caminho e ficam sujeitos a condições que, se não controladas, podem alterar suas propriedades e comprometer sua qualidade. Para que a distribuição e transporte de medicamentos sejam realizados de maneira adequada, alguns cuidados devem ser adotados.

Como é feita a distribuição e transporte de medicamentos

A tarefa de atender as características da carga é das distribuidoras e deve ser realizada com rigidez para que as propriedades dos medicamentos sejam mantidas. Os produtos devem chegar ao consumidor final com as mesmas particularidades que tinham quando saíram da indústria. É por isso que a distribuição e transporte de medicamentos exige muita atenção.

Procedimentos inadequados significam riscos para a saúde dos consumidores. Uma das responsáveis pela regulação da atividade de distribuição e transporte de produtos farmacêuticos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), possui um manual de “Boas Práticas de Transporte de Medicamentos” que, se seguido à risca, assegura as condições adequadas de armazenamento, movimentação e transportes de carga.

Existem vários cuidados a serem tomados no caminho percorrido entre indústria e varejo, por isso escolha empresas capazes de trabalhar com transporte personalizado.

A embalagem, o modelo de acondicionamento, o meio de transporte, a quantidade, a distância e até a duração da viagem importam.

Esses cuidados devem respeitar as características físico-químicas e microbiológicas dos medicamentos, o que demanda uma operação logística eficiente e otimizada. Desses, a temperatura de armazenamento é uma das mais importantes. Pois já que se estiver inadequada, o medicamento pode ter propriedades alteradas e colocar em risco a saúde do consumidor.

  • Cumprimento das exigências

Mas, se o motorista viaja sozinho, como garantir que as exigências na distribuição de medicamentos estão sendo cumpridas? O melhor, nesse caso, é ter como aliada a tecnologia. Para ter mais segurança na distribuição de remédios, o ideal é contratar uma solução de apoio à distribuição.

O software permitirá ter acesso a diversos dados. Estes podem ser: posição do caminhão, velocidade média, temperatura dentro do baú, se houve paradas não programadas no percurso, etc.

Não existe segredo: deve-se seguir exatamente as recomendações feitas na embalagem do remédio e assegurar a rastreabilidade dos produtos. Cada vez mais a logística de distribuição e transporte de medicamentos exige especialização e cuidados. Tanto dos profissionais como de empresas envolvidos na cadeia de suprimentos de fármacos. Se as boas práticas forem seguidas, o distribuidor pode ficar tranquilo pois terá garantida a manutenção da identidade, integridade e segurança dos produtos.

Ficou com alguma dúvida sobre distribuição e transporte de medicamentos? Escreva sua pergunta na área de comentários.

Crédito de imagem: PhotoLizM/CC

Já conhece nosso Podcast? Vem tomar um café com a gente!

Deixe seu comentário

Receba os melhores conteúdos sobre logística no seu e-mail e otimize a gestão da sua empresa.


Os conteúdos são 100% gratuitos e você pode parar de receber quando quiser.
Nova call to action

Recomendamos para você:

O que é redespacho?

Muitas pessoas têm dificuldade para identificar o que é redespacho e como isso acontece. E é uma dúvida muito recorrente de quem chega aqui na Lincros, por isso decidi escrever esse artigo para vocês.
All articles loaded
No more articles to load
lincros

Receba os melhores conteúdos sobre logística e ​otimize a gestão da sua empresa

Obrigado por entrar em contato conosco!

Insira seu nome e e-mail para prosseguir para o WhatsApp

lincros

Conecte sua cadeia de transportes ponta a ponta

Uma plataforma. Controle total.